Criado por POLCA | 2016

Únicas, únicos,

únicx: EmaranhadUs

na trama coletiva afetamos e somos afetados. Ímpares seguimus.

 

X projeto Singulares propõe uma série de solos que parte das buscas individuais de cada intérprete/criador(a)

 

e vai encontrar diversos temas, referências, aspectos da coletividade. Multiformes processos de criação, pensamento, movimento, expressão... de vida.


Textos e Projeto Gráfico: Maíra Espíndola

Realização: CiaDançurbana

TALVEZ SEJA ISSO / JACKELINE MOURÃO

Um processo inacabado que atinge a inquietude, a crítica, a curiosidade. Sobre se perder e alcançar limites e potencialidades. Sobre um corpo capaz de ser o que é: semelhança, singularidade, fragilidade. Investigando as fronteiras, e x p a n d i n d o – s e, deixando à mostra as imperfeições. Um gosto de coisas que explodem, aparecem e ressignificam.A intérprete/criadora movimenta-se : PEQUENA / grande ; FRÁGIL / forte ; selvagem buscadora / DELICADO SER. Uma tensão tão violenta que explode e rompe a resistência. Talvez FRÁGIL seja ser uma flor, talvez seja ser uma bomba. Talvez seja isso...

Intérprete/Criadora: Jackeline Mourão
Direção: Marcos Mattos e Renata Leoni Bhanu
Criação Audiovisual e Trilha Sonora: Reginaldo Borges
Figurino: Maíra Espindola

SOB CONTROLE / ADAÍLSON DAGHER

E s p a c i a l i d a d e / Indivíduo e espaço. Corpos dispostos no espaço aleatoriamente. O que acontece quando nada acontece? Quem controla o que? O contato que cria vínculos e pontes, como também ruídos de comunicação. O olhar captura o movimento, empreende leituras, permeia o gestual e o acumula: R E P E T I D A M E N T E

Sob controle o intérprete/criador experimenta. Conecta e desconecta. Executa repetições insalubres, rende-se: entre o que é sano e insano move-se.comove- se. 

Intérprete/Criador: Adaílson Dagher

Trilha Sonora: Reginaldo Borges

Figurino: Maíra Espíndola

Provocadores: Marcos Mattos e Maíra Espíndola Colaboradora: Franciella Cavalheri
 

DANÇAR AS FÚRIAS / RALFER CAMPAGNA

Nx periferia dx corpx. Corpxs estranhx, bizarrx, fora dos limites.Corpx bicha, não-heterenormativx, cuirzadx, não-padronizadx.Corpx em trânsitx, exageradx... descobrindo formas de se mover em sociedade.  Atravessando outrxs corpxs. Atravessadx. Reconstruídx. X intérprete/criadorx se apresenta, performa a respeito das pessoalidades. Expõe-se. Estx corpx que quer ser o que quiser. Quer despir-se de rótulxs fechativxs. Quer celebrar. Por sob as opressões sobreviver, viver, (re) existir. Um(x) corpx assim que festeja com o que restar.

Intérprete/Performer: Ralfer Campagna

Provocadora: Franciella Cavalheri

Concepção de figurino: Maíra Espíndola e Ralfer Campagna

Confecção de figurino e cenário: Maíra Espíndola

Trilha sonora: Reginaldo Borges

Vozes performativas: Francisco Mallmann e Ralfer Campagna
Orientação de voz: Febraro de Oliveira

 

EUPHORIA / LIVIA LOPES

A obra de Jean-Michel Basquiat inspira essa pesquisa propondo temas e imagens de corpos estranhos, desmembrados, excluídos. A intérprete/criadora anima-se na linha que verte o excedente, overthinking, over much, over dose.O movimento busca o que seria a condição humana dentro da sociedade: suas ações, contradições e consequências. As barreiras que separam bolhas sociais sufocantes e libertadoras. Same old shit de excesso e caos. Caos, sobreposições e cores. Medo, descontrole e subversão. O ser em vários estados físicos; político, aberrante... O ser negro, sendo. Sendo!  Intérprete/Criadora: Livia Lopes

Provocadores: Maíra Espíndola e Marcos Mattos.

Trilha Sonora: Banda Gray – Album Shades of...

Criação de Luz: Reginaldo Borges

Figurino: Maíra Espindola
 

NU(M) SÓ CORPO / ROSE MENDONÇA

Num corpo de mulher moram vários ensinamentos. Sabedorias ancestrais transformadoras. A própria transformação como capacidade de criação. Cordões que ligam e carregam histórias, raízes. A consciência dos ciclos, do sagrado feminino, daquilo que foi silenciado.A intérprete/criadora propõe investigar a ancestralidade a partir de memórias corporais de corpos que resistem, que geram, reagem e acolhem... num só corpo, numa só mulher. 

Intérprete/Criadora: Rose Mendonça

Colaboradoras: Maria Elvira Machado e Franciella Cavalleri Dramaturgia e Direção: Marcos Mattos

Trilha Sonora e desenho de luz: Reginaldo Borges Figurino/Cenário: Maíra Espíndola

A PELE DE DENTRO / ARIANE NOGUEIRA

Intérprete/Criadora: Ariane Nogueira

Direção: Marcos Mattos

Trilha Sonora: Reginaldo Borges

Figurino: Maíra Espíndola

Participações, editais e premiações contempladas pelo trabalho / etapa1 do singulares

2016

- Circulação/Prêmio Célio Adolfo de Incentivo à Dança

2014

- Circulação Nacional Palco Giratório/Repertório

- 8º Semana Pra Dança em Campo Grande/MS

2013

- Circuito Dança no Mato

- Projeto Circula Dançurbana FMIC/2013

- Circulação/Prêmio Célio Adolfo de Incentivo à Dança

2012

- 14º Festival de Inverno de Bonito

- Estreia/Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2011

CLIPPING

Jornal O Estado MS (2019)